(Para Octávio Paz)

O amor é a chama

que duplamente arde

dentro do meu peito

.

 

Arde

porque dói

dói

porque é amor

.

 

Amar é sofrer

padecer

é o tempo não eterno

a carência e desejo

(do que tenho e não possuo)

é o motivo da tristeza

que tanto me alegra

.

 

Brota

como espinhosa flor

que cerca

arrocha

aperta

espreme

fura

sangra

o meu coração

.

 

O amor

é aquela flor de sangue:

bela pra quem vê

espinhosa para quem toca

.