#complicação

Me descompliquei de mim,

mas a Complicação quer

tomar um café comigo,

vim me visitar, torna-se de mim

amiga.

Só quero ser livre,

profundamente amável e ser,

e ser um ser, somente ser

um simples ser.

Não vou  dificultar (de novo)

o meu caminhar,

ponho meu All Star e

vou me encontrar,

tomar café comigo,

Fugindo da complicação

que atrás de mim… corre.

 

#arborizando

Fui plantado, cresci e

dei frutos, muitos frutos

para que muitos comam aqui.

Escutem as loucas histórias

que sonhei em viver e vivi,

vivendo insanamente ‘num’ mundo displicente.

Amadureci como os frutos que nasceram em mim,

te arborizei.

Levem e plantem árvores,

novas árvores, novos frutos,

um novo ar para o mundo arborizar.

(espalhem a boa semente que um dia em mim foi plantada).

 

#Traduziu

“[…] Na semana seguinte, foram os últimos a ser atendidos. O médico, sisudo, taciturneou¹: o miúdo não teria, por acaso, mais versos ? O menino não entendeu.
Não continuas a escrever ?
Isto que faço não é escrever, doutor, Estou, sim, a viver. Tenho este pedaço de vida – disse, apontando um novo caderninho – quase meio. […]”  

O menino que escrevia versos – Mia Couto.

1 – Derivado de “Tarciturno” – Aquele que fala pouco.

Crio-me, me recrio, criando-me

me criando ando em crise.

Não é para sempre, são fases, difíceis fases 

que voarão com os pássaros que passarão.

Ando, avanço, me lanço

como a flecha que sai da aljava ao alvo, 

acertando um dia o certo.

 

#semtitulo

Eu quis sim, eu quis

que desse certo e tudo fosse ok

mas acho que a solidão 

me quis de uma vez por todas.

Eu queria tentar,

procurei avançar,

tropecei e lembrei:

sou humano, ainda me permito errar“.

No ontem fui herói,

o hoje me fez vilão…

De ontem me diziam: “Santo

mas hoje me chamam: “Profano

O quis foi: dá uma chance para mim.